Programa sociedade civil: Ser grávida hoje

Aqui fica a minha participação no programa sociedade civil para quem não viu… 🙂

http://www.rtp.pt/play/p1832/e198775/sociedade-civil

Anúncios

Será que a dieta influencia o sexo do bebé?

o-que-fazer-para-engravidar-menino-ou-menina_AEstá a planear engravidar? Se tem preferências então saiba que pode haver uma relação entre aquilo que come na época da concepção e o sexo do bebé.

Um estudo realizado em Inglaterra mostrou que havia relação entre a dieta e o sexo do bebé, contudo não é uma ciência exata e por isso não podemos comprovar garantidamente a sua causa-efeito. Segundo estes investigadores as mulheres que consumiam uma dieta rica em calorias e potássio e comiam com regularidade cereais ao pequeno-almoço deram à luz mais rapazes, ao passo que as mulheres que consumiam menos calorias, tinham uma dieta mais proteíca e baixa em hidratos de carbono e geralmente “saltam” o pequeno-almoço geraram mais raparigas.

A razão para isso acontecer pode ser causada pelas diferenças de pH no corpo da mulher e no ambiente que se cria que irá facilitar ou não um ou outro tipo de espermatozóides X ou Y (de rapariga ou de rapaz respetivamente), tal como referi não é matemático que vá acontecer no entanto, por experiência própria posso comprovar que eu como quase todos os dias flocos de aveia ao pequeno-almoço e tive um rapaz.

Assim já sabe, se quer ter um rapaz então deve valorizar o consumo de cereais (mas já agora não coma os cereais “lixo”, invista nos bons e opte pelos flocos de aveia ou faça um muesly caseiro), coma bananas, batatas/batata-doce, abacate e tomate para consumir mais potássio. Se por outro lado, o seu sonho é ter uma menina então terá de optar por uma dieta proteíca com um reduzido consumo de hidratos de carbono.

Agora só me resta desejar-lhe boa sorte e bons treinos! 🙂

O que é isto do percentil…

 

Imagem

Esta semana fiz a Eco das 32 semanas (3º trimestre). Teoricamente a última caso esteja tudo bem com o bebé.

E estava, de um modo geral, o ritmo cardíaco, líquido amniótico, fluxos da artéria umbilical, etc… todos estes parâmetros apresentavam com valores normais. O peso estimado é de 1800gr o que corresponde a um percentil 25.

Alerta máximo para uma mãe nutricionista: o meu bebé está magrinho!!! O médico que fez a ecografia não se mostrou nada preocupado e explicou que com uma média de 150gr por semana dá um bebé de termo a rondar os 3 kg.

Saí desanimada porque ainda há um mês o meu médico, após eu ter tido um aumento de 2,5 kg, me alertou para ter cuidado com estes aumentos excessivos porque ia entrar uma altura crucial do peso do bebé. Foi um mês em que tive todos os cuidados com a minha alimentação e cortei com os extras que não fazem falta… e agora o resultado é percentil 25?!

Mas pensando mais friamente sobre esta questão, o que é isto do percentil? O percentil é apenas uma medida estatística que me diz que estando no percentil 25 podemos concluir que 25% das crianças saudáveis com a mesma idade tem um peso igual ou inferior. Temos de ver que isto é um valor isolado e que não entra em consideração o peso habitual dos progenitores.

Ainda assim vou aproveitar estas férias para descansar e comer bem. Com gelados incluídos, porque nas férias um gelado não é um “extra que não faz falta”.

Cálcio: Alerta 3º trimestre!

Imagem

Já referi aqui a importância do cálcio durante a gestação e volto a reforçá-la novamente, uma vez que no 3º trimestre existe um aumento das necessidades do bebé em cálcio para formar os seus ossos e dentes. Se a nossa dieta não fornecer a quantidade adequada acabamos por mobilizar cálcio dos nossos ossos para satisfazer as necessidades do bebé. Assim, a probabilidade de sofrermos de osteoporose é maior.

Como tal, sugiro que se aumente o consumo de alimentos ricos em cálcio nestes últimos 3 meses: produtos lácteos (leite, iogurtes, queijo…) e adicionalmente sardinhas, salmão, ovos, tofu e legumes de folha verde escura.
Como é verão e com o calor sabem bem as saladas fresquinhas, deixo uma receita pode dar um “extra” de cálcio muito saboroso.

Salada colorida rica em cálcio

– Folhas de espinafre baby
– 1 Laranja
– 1 Ovo cozido
– 1 Pimento vermelho assado
– 1 Iogurte natural
– Sumo de limão
– Sal e pimenta q.b.

Numa travessa faça uma cama com as folhas de espinafre baby previamente lavadas. Adicione-lhe a laranja já cortada em rodelas e o ovo cozido cortado em gomos. Corte o pimento vermelho assado em tirinhas e disponha por cima dos restantes ingredientes.

À parte faça molho de iogurte misturando iogurte natural com sal e pimenta e umas gotinhas de sumo limão. Pode servir a salada com o molho em separado e ir temperando a gosto.

Combata a anemia na gravidez

spinach-photo-420x420-ts-stk72169coA anemia afecta cerca de 30% das mulheres grávidas, e essa situação deve-se ao aumento das necessidades de ferro, tendo como consequência o risco de baixo peso à nascença, parto prematuro e aumento da mortalidade perinatal. Por essa razão é que é recomendado a ingestão de suplementos de ferro a partir do 2º trimestre.

Entrei no 3º trimestre de gravidez por esta altura as necessidades de ferro por dia são de, pelo menos, 27 mg. Além dos suplementos alimentares devemos ingerir alimentos ricos em ferro e principalmente ter ter em conta que a absorção do ferro pode ser impedida/ facilitada consoante a presença de outros alimentos na nossa dieta.

Segue-se uma lista dos alimentos ricos em ferro e do que deve ou não ter na sua dieta para maximizar a sua absorção:

Alimentos ricos em Ferro:

  • Carne de vaca (limpa de gorduras);
  • Fígado (de vaca ou porco);
  • Leguminosas (feijão, grão-de-bico, feijão de soja, lentilhas);
  • Couves (couve galega, couve portuguesa);
  • Espinafres;
  • Agrião.

Maximize a absorção de ferro ingerido:

  • Aumente a ingestão de vitamina C (laranja, kiwi, morangos, papaia, frutos vermelhos);
  • Evite tomar café, chá (preto ou verde), chocolate/cacau na mesma altura em que come alimentos ricos em ferro ou toma o seu suplemento alimentar.

Sushi na gravidez: Sim ou não?

sushi

 

 

A opinião sobre comer ou não sushi é controversa, facilmente encontramos gravidas que comem todo o sushi que querem e aquelas a quem lhes foi aconselhado não o comer.

Todos os alimentos crus ou mal cozinhados podem ser um risco de transportarem parasitas ou bactérias quando as condições de higiene são deficientes, quando há contacto com outros alimentos contaminados (contaminação cruzada), etc. A opinião dos médicos que permitem a grávida de comer sushi é bastante convincente: “já alguma vez ficou com intoxicação depois de comer sushi?” Realmente a probabilidade de isso acontecer é reduzida, principalmente em restaurantes que confiamos. A mim nunca me aconteceu, mas ainda assim a minha opinião de grávida e de nutricionista sobre isso é simples: Para quê arriscarmos?

Apetites de grávida? A solução: Sementes de chia

semente_chia

Naqueles dias que nunca conseguimos ficar saciadas e por mais lanches que faça nada é suficiente descobri a solução: Sementes de chia.

As sementes de chia encontram-se em qualquer supermercado ou loja de produtos naturais, elas são ricas em fibras solúveis e ómega-3. Estas fibras em contacto com a água formam um gel que sacia e conforta o estômago. Além disso, são também boas aliadas do transito intestinal, ajudando as grávidas da frequente prisão de ventre.

Como comê-las? Coloque uma colher de sopa (10gr) em meia chávena de água (75ml) e deixe inchar durante meia hora. Depois esse “gel” que se forma com as sementes pode misturá-lo no iogurte ou num sumo de fruta natural e verá que o seu apetite andará mais controlado.