Abacate um fruto nutritivo para o seu bebé

Vi este vídeo e foi-me tão familiar! Cá por casa a reacção foi igual ou pior, eu pelo menos não insisti tanto ao vê-lo ter arrepios quando experimentou abacate pela primeira vez.

O abacate é realmente uma boa fruta para iniciar na alimentação do bebé, rica em gorduras mono e polinsaturadas vão ajudar ao desenvolvimento do sistema nervoso central das crianças. Mas vamos lá admitir não sabe assim tão bem “ao natural”… junte-lhe meia banana ou outra fruta que o bebé goste e verá que se torna muito mais fácil.

Anúncios

A propósito dos açúcares

obesidade9A semana passada deu na SIC uma reportagem sobre nutrição que mexeu com os Portugueses. Assustou uns, alertou muitos e fez ver que nas nossas casas e na nossa alimentação, principalmente a dos nossos filhos, há muito a melhorar.

Querer dar o melhor aos nossos filhos não passa por lhes dizer sempre que sim, dar o chocolate sempre que pedem, trocar o pão do lanche por bolos porque outros amigos o fazem… dar o melhor aos nossos filhos é preocuparmo-nos com a sua alimentação e dar sim as opções mais saudáveis.

A reportagem focou-se muito no consumo de açúcares nas crianças, mostrou as consequências desse excesso e após a reportagem já se vê nos corredores dos supermercados mães a lerem rótulos, lançaram-se desafios nas redes sociais de 20/30dias sem açúcares, etc… Resultado surtiu efeito!

Não gosto de apontar de erros, prefiro sempre alertar para mudanças de hábitos alimentares pela positiva, mas hoje não vou por ai, deixo-vos alguns erros que têm de ser mudados:

“Agora já pode comer a comida da família”

Esta frase ouvem todos os pais quando vão à consulta de 1 ano de idade. E lembro-me perfeitamente da perplexidade do meu marido que me perguntou “então agora ele vai comer uma perna de cabrito assada no forno?” … essa passagem de alimentos em puré para a comida da família é gradualmente feita pelas próprias crianças. Elas vão se habituando aos paladares da família progressivamente assim como as novas texturas. No entanto, o que está errado é aquilo que se oferece à criança, se ontem havia uma série de regras (a alimentação do bebé no 1º ano de vida chega a ser matemática e milimétrica!) e se ainda ontem o bebé não comia sal, douradinhos, cereais de chocolate, bolachas recheada nem bebia sumos de pacote, então porque é que depois de uma simples frase tudo muda?

“Temos essas coisas em casa por causa do irmão mais velho”

Está o irmão mais velho livre de desenvolver obesidade, diabetes, hipertensão? Na minha opinião há certas coisas que nunca devem entrar numa casa, como por exemplo: batatas fritas de pacote e outros fritos do género, sumos de pacote (incluindo o tão “aparentemente” inofensivo super-açucarado-ice-tea), cereais de chocolate, bolachas recheadas, mini-pães recheados com chocolate… etc etc. Se os eliminarem da lista de supermercado e substituírem os snacks por fruta, iogurtes, queijinhos, pão… verão como as contas mensais daí de casa vão descer drasticamente assim como os ponteiros da balança.

Eles são pequenos e não podem escolher sozinhos, cabe-nos a nós sermos responsáveis pela sua saúde até termos autoridade para tal. 🙂

O que é o Baby Led Weaning?

BLW Baby Led Weaning, já ouviu falar? esta imagem diz tudo!! Este é um método de “desmame” do bebé muito utilizado nos EUA, e que tem vindo a ser transportado aos poucos para a Europa com alguma controvérsia, dúvidas, etc.

O baby led weaning é uma forma de ensinar o seu filho a comer alimentos sólidos dando-lhe total autonomia desde o 1º dia que inicia a diversificação alimentar, ou a partir dos 6 meses (nos bebés amamentados em exclusivo até essa idade). Neste método não se recorre a purés, papas, processadores de cozinha, etc, nada é esmagado e dado em colheradas ritmadas à criança. Os alimentos são lhes fornecidos em tamanho pequeno de forma a que consiga agarrar com a sua mão e comer sem se engasgar, colocada no tabuleiro da cadeirinha da papa e de preferência sem roupa ou com um bom babete de plástico. Se o bebé gostar ele comerá, se não gostar não come. Esta forma de ensinar o bebé a comer garante que a ordem de aprender a comer é a mais correcta: primeiro o bebé irá aprender a mastigar e em segundo lugar a engolir, o que está invertido na forma tradicional de alimentar um bebé.

Bom, além de todos os dias ficar com a sua sala como se fosse um campo de batalha os riscos que os pediatras alertam para este método é o de engasgar. Se os pais estão seguros que sabem fazer as manobras de Heimlich isso poderá dar-lhes mais confiança a fazer esta prática mas se não o sabem então realmente pode ser um risco.

Eu não sou a favor nem contra, acredito que para a maioria dos pais cujo dia deveria ter 26 horas não seja possível perder muito tempo com esta prática alimentar, e basicamente o que querem é garantir que o seu bebé comeu tudo o que necessita para crescer. Hoje em dia, que o meu filho já é mais crescido faço aqui um “meio-termo”, dou-lhe sopa (sim somos Portugueses comemos sopa!!), dou-lhe o prato principal também coordenado por mim e a fruta então fica ao cargo dele e faz a porcaria toda que gosta!! Mas confesso que com 6 meses não me sentia confortável em dar comida sólida (além da bolachinha Maria que se derrete na boca) e que todas as crianças adoram.

E por ai como fazem com os vossos pequenos?

Introdução de Glúten aos 6 meses

papa bebe

Chegamos a mais uma etapa na vida do bebé! Introduzir o glúten 🙂

Para qualquer outra pessoa a introdução do glutén é só a introdução do glúten na alimentação do bebé e ponto final, mas para uma mãe de 1ª viagem é uma ETAPA! O meu bebé já tem 6 meses, é um senhor. Vejo isto como qualquer outro evento digno de celebrar, tal como a entrada para a faculdade ou ter passado no exame de condução.

Com isto abre-se a porta para uma maior variedade de papas, incluindo a tão deliciosa cerelac (que agora há versão sem leite – para preparar com o leite do bebé). Para não correr o risco de ser eu a comer a papa toda (é a minha papa favorita!) comprei uma papa láctea com glúten e frutas.

O que é o glúten? É uma proteína que existe em vários cereais como o trigo, cevada e centeio.

Sabe-se que a introdução precoce desta proteína pode aumentar a probabilidade de intolerância à mesma, e desenvolver a doença celíaca.

Quando devemos introduzir o glúten?

Entre os 6 e os 7 meses, não deixe prolongar muito mais pois a introdução tardia também pode levantar problemas e maior intolerância. A altura certa é mesmo esta e não a deixe escapar.

Diversificação alimentar

imagesCAQ01WNC

 

A introdução dos novos alimentos deve ser gradual, com calma para que o bebé se adapte aos novos sabores e á consistência dos alimentos. A introdução lenta permite identificar se o bebé reage a algum alimento. Dar a primeira sopa é um filme, não sei se fiquei com mais sopa na roupa dele ou na minha… O bebé não sabe para que serve a colher e sente a falta da sucção do biberão. Uma regra importante é não ceder à tentação de por a sopa/ papa no biberão para que coma melhor. Aprender a comer faz parte do processo de crescimento, se comer menos sopa hoje paciência, amanhã comerá melhor.

O que deve ter a primeira sopa? A primeira sopa deve ser feita com 4 legumes à escolha, entre batata, batata-doce, curgete, cenoura ou abóbora, alho-francês, couve-flor, cebola ou alface. A primeira sopa cá de casa tinha batata, cenoura, cebola e curgete. Esperam-se 3 dias para introduzir um novo legume, podendo depois passar a brócolos e couve coração. Os espinafres, nabiças, nabo, aipo e beterraba devem ser introduzidos mais tarde (ao ano), por risco de contaminação com nitratos. O azeite é colocado em cru no fim de fazer o puré, na dose de 1 colher de chá por prato.