Acompanhamento nutricional para grávidas

gestante1

A gravidez é um momento especial que deve ser vivido com tranquilidade e confiança de que tudo está a ser feito de forma a garantir o melhor crescimento e saúde do bebé que aí virá, sem nunca esquecer a Mãe.

Embora a gravidez não exija comer por dois como nos tempos das suas avós se dizia, deve comer pelos dois sim mas só em alguns nutrientes. Quero com isto dizer que o valor calórico do seu dia não irá aumentar assim tanto, mas algumas necessidades pontuais de nutrientes sim. Existem adicionalmente alguns cuidados especiais que tanto baralham as grávidas tais como “posso comer salada?”, “posso comer o queijo X ou Y?”, “posso beber café?”, essas e tantas outras dúvidas que surgiram verá serem esclarecidas se tiver um aconselhamento nutricional.

Caso não existam condições especiais, que exigem um acompanhamento mais rigoroso (como na diabetes gestacional, hipertensão arterial ou outros problemas), o acompanhamento da grávida pode ocorrer em 3/4 fases:

– Consulta pré-concepcional ou nos primeiros dias (assim que recebe a boa noticia);

– Consulta entre as 14 e as 16 semanas (entrada no 2º trimestre);

– Consulta entre as 25 e 28 semanas (entrada no 3º trimestre);

– Consulta pós-parto (alimentação na amamentação e acompanhamento na recuperação do peso).

Este acompanhamento (novamente caso não existam condições especiais), pode ser presencial em consultório ou online caso veja que isso lhe facilitará a vida, uma vez que nesta fase já sobra pouco tempo entre trabalho/análises/consultas de obstetricia etc etc…! 🙂

Para saber um pouco mais deste acompanhamento online envie-me um email para ritamralmeida@gmail.com, fico a sua espera!

 

Anúncios

Excelentes noticias para as grávidas!

sushiLi esta noticia com inveja, mas porque é que ninguém se lembrou disto antes (!?). Por mim bastava que tivesse sido em 2103 quando eu estava grávida… A verdade é que sushi foi uma das primeiras refeições quando cheguei a casa da maternidade. Fico feliz por saber que numa próxima gravidez já sei onde ir, basta passar a ponte!!

http://observador.pt/2015/05/23/esta-gravida-aqui-pode-comer-sushi/

Ajuda na azia

image003

“Aiiii é azia!!!”

Esta é uma queixa tão frequente das grávidas, e as causas são várias que já as falei anteriormente.

Agora há uma solução rápida e natural no seu alívio: O Reduflux. Este produto natural que se encontra em farmácias pode ajudar em 2 minutos a aliviar os seus sintomas (prolongando-se por 4horas). O Reduflux “forra” o estômago, criando uma barreira que protege dos sucos gástricos (ajudando na dor de estômago e azia) e impede que ocorra refluxo.

Eu já não fui a tempo de o saber, mas quem sabe ainda possa ajudar algumas futuras-mamãs que andem por aí às voltas com a azia da gravidez.

O Reduflux não necessita de receita médica, mas informe o seu obstetra ele conhece melhor o seu caso.

Noticias recentes sobre suplemento de iodo na gravidez

img_milw15701__sal-com-iodo-1

A Direcção-Geral de Saúde (DGS) divulgou no dia 26/08 uma orientação clínica que recomenda as mulheres no periodo pré-concepcional, gravidez e amamentação a tomarem suplemento de iodo diariamente, devendo ser prescrito pelo seu médico na dose certa, não estão abrangidas por esta recomendação as mulheres com patologia da tiróide.

A carência de iodo durante a gravidez aumenta o risco da existência de alterações cogniticas nas crianças com diminuição do Q.I. uma vez que o iodo é essencial para o desenvolvimento do cérebro.  

Na nossa dieta o iodo encontra-se no peixe, algas, produtos lácteos e alguns produtos horticolas. A sua presença nestes alimentos depende do teor de iodo na água e solo e a utilização de desinfectantes ou fertilizantes na industria alimentar ou agricultura.

Neste momento, chegou-se à conclusão que em Portugal o consumo de iodo é insuficiente, e é objectivo da DGS assegurar que o sal de cozinha passará de futuro a ser iodado (enriquecido em iodo), pratica habitual em muitos paises que reduz as necessidades de suplementação em iodo na gravidez e amamentação.

Se ainda está a planear engravidar ou no ínicio da gravidez, fale deste assunto ao médico que a acompanha. Poderá facilemte contornar esta situação tomando um suplemento vitaminico habtualmente recomendado (ex. Centrum materna ou Matervita).

Alerta: Pré-eclampsia

13-297x300

 

 

 

 

Embora a retenção de líquidos seja muito comum no final da gravidez como já referi, é necessário estar atenta a alguns sinais “exagerados” que possam ocorrer nesta fase.

Os sinais de alarme são:

– Acentuado aumento da tensão arterial;

– Aumento de peso “exagerado” de mais de meio quilo por dia;

– Corpo visivelmente mais inchado (rosto, pernas, mãos, pés…);

Estes sintomas exacerbados da habitual retenção de liquidos podem indicar que está a entrar em pré-eclampsia, uma doença que poderá causar partos permaturos e riscos para a mãe e bebé.

Calor + Gravidez = Pernas inchadas

Favim_com-beach-boho-cute-drinks-feet-365952

 

 

Pernas inchadas e pesadas, tornozelos doridos, os sapatos que não servem… tudo isto são sintomas de edema, ou mais vulgarmente conhecido por retenção de líquidos. Esta é mais uma das habituais queixas de final de gestação, e eu não fugi a regra.

O calor potencia este efeito e não há dúvida que nos dias quentes é notório o aumento da retenção de líquidos nas minhas pernas. Mas ao que parece este fenómeno é comum em 75% das grávidas, mesmo aquelas que não estão no verão no fim da gravidez, é o chamado edema gravitacional.

Podemos apontar duas principais causas para a retenção de líquidos da gravidez: as alterações hormonais (aumento da progesterona) e o aumento do tamanho do útero. A partir do 5º mês o útero começa a comprimir os vasos da região pélvica dificultando assim o retorno do fluxo sanguíneo dos membros inferiores para o coração.

Proteja-se deste efeito incómodo evitando as horas de maior calor bem como evitando ficar muito tempo sentada ou de pé sem se mexer.

A alimentação também pode ajudar a prevenir a retenção de líquidos:

  • Beber muita água é fundamental.
  • Evitar bebidas com cafeína (café, chá preto, refrigerantes a base de cola, etc.)
  • Evitar o excesso de sal na dieta (atenção aos produtos de charcutaria que são demasiado salgados!)
  • Aumentar o consumo de potássio (vegetais e fruta)

Mesmo com estas recomendações não se esqueça do velhinho truque: Pernas para cima! Não há nada que alivie mais do que chegar a casa e colocar os pés para o alto com duas ou três almofadas.

E quando a retenção de líquidos se torna um problema de saúde? A isso chama-se pré-eclampsia. Amanhã deixarei um post sobre esse tema.