Acompanhamento nutricional para grávidas

gestante1

A gravidez é um momento especial que deve ser vivido com tranquilidade e confiança de que tudo está a ser feito de forma a garantir o melhor crescimento e saúde do bebé que aí virá, sem nunca esquecer a Mãe.

Embora a gravidez não exija comer por dois como nos tempos das suas avós se dizia, deve comer pelos dois sim mas só em alguns nutrientes. Quero com isto dizer que o valor calórico do seu dia não irá aumentar assim tanto, mas algumas necessidades pontuais de nutrientes sim. Existem adicionalmente alguns cuidados especiais que tanto baralham as grávidas tais como “posso comer salada?”, “posso comer o queijo X ou Y?”, “posso beber café?”, essas e tantas outras dúvidas que surgiram verá serem esclarecidas se tiver um aconselhamento nutricional.

Caso não existam condições especiais, que exigem um acompanhamento mais rigoroso (como na diabetes gestacional, hipertensão arterial ou outros problemas), o acompanhamento da grávida pode ocorrer em 3/4 fases:

– Consulta pré-concepcional ou nos primeiros dias (assim que recebe a boa noticia);

– Consulta entre as 14 e as 16 semanas (entrada no 2º trimestre);

– Consulta entre as 25 e 28 semanas (entrada no 3º trimestre);

– Consulta pós-parto (alimentação na amamentação e acompanhamento na recuperação do peso).

Este acompanhamento (novamente caso não existam condições especiais), pode ser presencial em consultório ou online caso veja que isso lhe facilitará a vida, uma vez que nesta fase já sobra pouco tempo entre trabalho/análises/consultas de obstetricia etc etc…! 🙂

Para saber um pouco mais deste acompanhamento online envie-me um email para ritamralmeida@gmail.com, fico a sua espera!

 

Anúncios

Excelentes noticias para as grávidas!

sushiLi esta noticia com inveja, mas porque é que ninguém se lembrou disto antes (!?). Por mim bastava que tivesse sido em 2103 quando eu estava grávida… A verdade é que sushi foi uma das primeiras refeições quando cheguei a casa da maternidade. Fico feliz por saber que numa próxima gravidez já sei onde ir, basta passar a ponte!!

http://observador.pt/2015/05/23/esta-gravida-aqui-pode-comer-sushi/

Será que a dieta influencia o sexo do bebé?

o-que-fazer-para-engravidar-menino-ou-menina_AEstá a planear engravidar? Se tem preferências então saiba que pode haver uma relação entre aquilo que come na época da concepção e o sexo do bebé.

Um estudo realizado em Inglaterra mostrou que havia relação entre a dieta e o sexo do bebé, contudo não é uma ciência exata e por isso não podemos comprovar garantidamente a sua causa-efeito. Segundo estes investigadores as mulheres que consumiam uma dieta rica em calorias e potássio e comiam com regularidade cereais ao pequeno-almoço deram à luz mais rapazes, ao passo que as mulheres que consumiam menos calorias, tinham uma dieta mais proteíca e baixa em hidratos de carbono e geralmente “saltam” o pequeno-almoço geraram mais raparigas.

A razão para isso acontecer pode ser causada pelas diferenças de pH no corpo da mulher e no ambiente que se cria que irá facilitar ou não um ou outro tipo de espermatozóides X ou Y (de rapariga ou de rapaz respetivamente), tal como referi não é matemático que vá acontecer no entanto, por experiência própria posso comprovar que eu como quase todos os dias flocos de aveia ao pequeno-almoço e tive um rapaz.

Assim já sabe, se quer ter um rapaz então deve valorizar o consumo de cereais (mas já agora não coma os cereais “lixo”, invista nos bons e opte pelos flocos de aveia ou faça um muesly caseiro), coma bananas, batatas/batata-doce, abacate e tomate para consumir mais potássio. Se por outro lado, o seu sonho é ter uma menina então terá de optar por uma dieta proteíca com um reduzido consumo de hidratos de carbono.

Agora só me resta desejar-lhe boa sorte e bons treinos! 🙂

O balanço do primeiro trimestre

birthday-girl-love-rocket-smile-Favim_com-145911_largeEstou a chegar ao fim do primeiro trimestre e já se notam algumas diferenças físicas. No total aumentei 2kg, o estimado para mulheres com peso “normal” é de 1 a2 kg. Nesta fase o aumento de peso não se deve tanto ao aumento do feto, que está com 5/6cm mas sim um aumento de outros tecidos e reservas para a fase da amamentação. É normal que muitas mulheres não aumentem de peso no primeiro trimestre por sofrerem de enjoos que lhes limita as refeições e escolhas alimentares.

Os enjoos já me passaram, sinto-me mais cansada do que o habitual o que também sei que é perfeitamente normal e tende a passar no 2º trimestre.

Peixes ricos em mercúrio

cute-fish-hands-jar-water-Favim_com-429291

O mercúrio existe naturalmente no ambiente e também é resultante da poluição industrial. Deposita-se nos mares e os peixes que contactam regularmente com este metal o vão acumulando nos seus tecidos. Geralmente o mercúrio encontra-se em maior quantidade nos peixes de grande dimensão (peixes de água profunda e que vivem mais tempo) ao contrário dos pequenos como a sardinha, o carapau e o salmão.

Não há dúvida que comer peixe é saudável, em qualquer altura da vida, contudo as mulheres que estão grávidas ou a amamentar e as crianças devem limitar o consumo de peixes com maior teor de mercúrio (até uma vez por mês). Isto porque sabe-se que os fetos e bebés expostos a elevados níveis de mercúrio podem vir a ter problemas de aprendizagem e a andar, também se tem provado que a exposição ao mercúrio antes do nascimento pode causar deficit de atenção e hiperactividade.

E de que peixes estamos a falar?

– Peixe-espada

– Espadarte

– Atum (refiro-me a postas de atum fresco, pois o de conserva apresenta habitualmente níveis mais baixos de mercúrio)

Desejos e aversões alimentares

blue-green-red-strawberry-Favim_com-454836_large

Os desejos de uma grávida estão longe de serem comprovados cientificamente. Muitos autores referem-nos como resultado de uma maior susceptibilidade psicológica e procura de conforto. Acredito que cada grávida tenha a sua história para contar e algumas com alguns apetites estranhos. No meu caso não diria que tenha sentido desejos alimentares estranhos mas têm me apetecido muito comer morangos, acredito que porque os tenho visto no supermercado e me fazem lembrar a chegada do bom tempo. Um facto mais curioso é que tenho bebido leite quase todos os dias, e sabe-me bem! Já não bebia leite (regularmente) desde os 20 anos, porque deixou de me saber bem e até algumas vezes que me causava alguma asia (perfeitamente comum na população adulta). Juntei dois em um e fiz um batido de morango que me soube maravilhosamente bem.

Os desejos mais comuns das grávidas relatados na literatura são por doces (eu diria que não só em grávidas) e produtos lácteos. As aversões, que ainda não vivenciei, são habitualmente a chá, café, alimentos fritos e ovos.